Entenda como melhorar a gestão de pessoas no escritório de advocacia

É muito comum que a gestão de pessoas seja deixada de lado pelos escritórios de advocacia. Ao contrário do meio empresarial, em que essa prática é mais frequente, a gestão de pessoas em advocacia é pouco difundida.

Para se ter uma ideia, grande parte dos escritórios nem sequer possuem setor de recursos humanos ou políticas voltadas para esse fim. Isso ocorre porque muitas vezes os escritórios nascem como pequenas sociedades, formadas por poucos advogados, que acabam crescendo sem o planejamento adequado.

Assim, como você vai ver neste post, uma boa gestão de pessoas em escritórios de advocacia pode ser decisiva para o sucesso do negócio. Inúmeras são as práticas que podem ser adotadas nesse sentido, basta escolher aquelas que melhor se adaptem à sua realidade.

Continue lendo este artigo e confira as dicas imperdíveis que preparamos para ajudar você a implementar a gestão de pessoas em sua empresa!

Aplique a gestão de pessoas

Quando o escritório cresce rapidamente, é comum que os sócios não se deem conta — ou percebam tardiamente — das necessidades que acompanham essa expansão.

Quer um exemplo? Um escritório pequeno, com cerca de 5 advogados, que rapidamente passa a contar com 40 colaboradores, certamente terá que rever sua política de remuneração.

Isso porque a política de remuneração dos escritórios pequenos difere dos escritórios médios ou grandes, que carecem de critérios mais elaborados de promoção e de avaliação de desempenho.

Por isso investir na gestão de pessoas é tão importante. A ausência ou a má gestão de pessoas em um escritório pode levar à perda de produtividade, conflitos internos entre funcionários, aumento da rotatividade, perda de bons profissionais, repercussão negativa do escritório, entre vários outros problemas.

Veja a seguir como garantir o sucesso da sua empresa investindo em seus colaboradores.

Formalize os deveres e obrigações dos sócios

Talvez esse seja um dos aspectos mais delicados em relação à gestão de pessoas em advocacia, pois a relação entre os sócios vai refletir — positiva ou negativamente — no rumo dos negócios e no clima do escritório. Assim, para minimizar conflitos futuros, é recomendável que os sócios estabeleçam seus deveres e obrigações em um contrato — chamado Acordo de Sócios.

Esse documento poderá conter informações relativas à administração financeira, atribuições específicas de cada sócio, modo de repartição dos lucros e dividendos, política de investimentos, etc. Lembre-se de que quanto mais detalhado for esse acordo, menores serão as chances de futuros desentendimentos.

Invista em treinamento

Investir no treinamento dos funcionários é fundamental para garantir a alta performance da equipe e o alcance das metas do escritório. O treinamento é uma forma de desenvolver as habilidades dos colaboradores de acordo com o que se espera deles no ambiente de trabalho.

E não estamos falando apenas de habilidades jurídicas — ou de gestão, no caso de funcionários de setores administrativos — mas do desenvolvimento de capacidades relativas à inteligência emocional.

Contudo, antes de dar início a um treinamento, o ideal é fazer um levantamento das demandas do escritório para evitar o investimento de tempo e dinheiro em práticas desnecessárias ou ineficientes. 

Elabore um plano de carreira

O plano de carreira deve funcionar como uma bússola para os colaboradores. Isso porque ele permitirá que os funcionários conheçam suas perspectivas de crescimento e o caminho a seguir em busca de uma promoção ou, ainda, para se tornarem sócios do escritório.

Para isso, é crucial que o plano de carreira seja claro, objetivo e apresente informações relativas aos cargos, habilidades requeridas para cada um deles, atribuições, remuneração e benefícios.

Além disso, é importante que o plano seja adequado à realidade do escritório. Caso contrário, ele poderá abalar a credibilidade dos funcionários em relação à empresa, gerando frustração e falta de motivação.

Ouça seus colaboradores

Essa dica vale ouro, pois tem custo zero e pode trazer um retorno muito positivo para o seu negócio. E por mais simples que pareça, ainda é pouco praticada nos escritórios de advocacia.

Ainda que os sócios trabalhem próximos a seus funcionários ou que façam o possível para se manter a par de tudo o que acontece na rotina do escritório, somente uma conversa clara e direta com cada colaborador será capaz de identificar os problemas enfrentados por eles.

Aproveite essa oportunidade para ouvir sugestões relativas à rotina de trabalho, melhorias na gestão do escritório, expectativas em relação ao emprego, etc. Além de fazer com que o colaborador se sinta valorizado, esse canal direto com os funcionários vai melhorar a perspectiva dos gestores sobre questões que costumam passam despercebidas.

Realize avaliações de desempenho

A avaliação de desempenho é uma forma bastante eficaz de analisar a 
performance individual do profissional, estabelecer novas metas, apontar aspectos a serem melhorados e, sobretudo, fornecer feedback.

Para que produza melhor resultado, é importante que a avaliação seja periódica — trimestral ou semestral, por exemplo — e que tenha critérios bem definidos para os participantes.

Dê feedbacks

O feedback, quando bem utilizado, é uma importante ferramenta para apontar os pontos fortes e aqueles que precisam ser melhorados pelo profissional para que atenda aos objetivos da sociedade. Afinal, é por meio do feedback que o profissional terá informações sobre seu desempenho, resultados e comportamento no ambiente de trabalho.

Veja as dicas para que o feedback seja eficaz e não seja encarado como uma mera “bronca do superior”.

Escolha um lugar reservado 

O feedback deverá ocorrer individualmente, em local neutro e sem interrupções, para que o profissional não se sinta intimidado.

Seja assertivo

O feedback assertivo é aquele focado na conduta do profissional e não apenas em suas características pessoais. Uma boa dica, nesse caso, é usar a “técnica do sanduíche”. Saiba como funciona:

  • base do sanduíche: comece ressaltando as qualidades do profissional, utilizando expressões positivas;
  • recheio: descreva a “situação problema” e aponte qual a conduta esperada do profissional. Nessa hora é importante ser objetivo e fornecer exemplos para ilustrar as situações, para melhor compreensão pelo colaborador;
  • finalização do sanduíche: finalize reiterando as qualidades do profissional, mostrando-se confiante em sua capacidade de melhora e desenvolvimento.

Como você viu até aqui, a gestão de pessoas em advocacia pode trazer ótimos  resultados para o escritório, que vão desde a melhoria do ambiente de trabalho até o aumento de produtividade e resultados.

Agora que você já conhece as estratégias para investir na gestão de pessoas em ambientes jurídicos, que tal ficar por dentro das novidades que preparamos para você assinando nossa newsletter? Assim, você receberá mais conteúdos como este em sua caixa de entrada.

Share This