Veja como o Big Data está mudando o comportamento em escritórios jurídicos

Veja como o Big Data está mudando o comportamento em escritórios jurídicos

A tecnologia vem modificando radicalmente a metodologia de trabalho em todas as empresas. O escritório jurídico também tira benefícios dessa tecnologia, que se manifesta por meio de equipamentos e máquinas diferentes, bem como de recursos digitais.

O Big Data certamente é uma inovação que está mudando a realidade de trabalho em diferentes organizações, qualquer que seja seu porte ou segmento.

Neste post, vamos analisar como o Big Data está contribuindo para que o escritório jurídico desenvolva atividades mais eficientes e produtivas!

O escritório jurídico e os dados

O escritório jurídico gera uma quantidade contínua e crescente de dados. Esse volume significa que cada advogado precisa aumentar seus conhecimentos, acumulando mais e mais informações.

A área de jurisprudência e as interpretações da legislação produzem mais dados que são excelentes fontes de conhecimentos para o advogado que deseja se aperfeiçoar e apresentar argumentos mais persuasivos perante o tribunal. Os registros jurídicos, os testemunhos, as acusações e os sumários do juiz são exemplos dessas fontes valiosas de conhecimentos.

Contudo, quantidade enorme de dados desorganizados acaba não tendo muita utilidade para o profissional. O Big Data é a solução para captar e organizar melhor os dados de um escritório jurídico.

O Big Data e o escritório jurídico

As ferramentas de Big Data usadas em um escritório jurídico destinam-se, principalmente, a contribuir em questões de faturamento, marketing, otimização de tempo, gerenciamento do relacionamento com o cliente.

São, naturalmente, questões muito importantes para um escritório de advocacia, mas o Big Data pode fazer ainda mais.

Os profissionais da área jurídica estão aplicando os recursos do Big Data para a pesquisa fundamental e para a melhor preparação do caso. Instituições do setor podem dispor de quantidade considerável de dados com detalhes sobre casos que servirão como ponto de partida para o advogado que está atuando.

Como motores de busca, essas entidades funcionam bem, mas não apresentam ferramentas analíticas mais avançadas. Contudo, o Big Data permite segmentar inúmeras informações, sistematizando-as e identificando padrões.

Dessa forma, esse grande conjunto de dados armazenados pode ser usado em um escritório jurídico para converter os dados brutos em informações valiosas, o que certamente contribui para a tomada de decisões estratégicas mais eficientes.

O físico alemão Andres Weigend chegou a prever uma época em que o próprio Big Data tomaria as decisões, e não os gestores das empresas.

O Big Data e os cinco atributos ‘V’

O conceito de Big Data está associado a cinco vês, que são:

  1. valor;
  2. veracidade;
  3. variedade;
  4. volume;
  5. velocidade.

Todos esses atributos são úteis em um escritório jurídico.

O Big Data serve, portanto, para coletar informações, analisá-las e organizá-las de modo que elas forneçam matéria-prima para o desenvolvimento de estratégias eficientes.

Os dois caminhos do Big Data para análise interna

O Big Data pode oferecer dois caminhos de análise interna para o profissional da área jurídica.

O primeiro caminho seria a análise, em tempo real, dos dados financeiros e de desempenho do escritório jurídico. Ele pode reunir os dados de forma a tornar mais fácil a análise e a tomada de decisões acertadas.

O tratamento dos dados disponíveis internamente permite que o advogado fique ciente de quanto recebeu nos últimos anos, se a clientela ainda está procurando os seus serviços, se a demanda aumentou ou diminuiu, se o escritório jurídico está adimplente com as suas obrigações e muitas outras coisas.

O segundo caminho seria a gestão de conhecimento gerado dentro do próprio escritório. O escritório jurídico gera e vende conhecimento, sendo necessário realizar o armazenamento dessas informações para posterior consulta.

O advogado pode, por exemplo, elaborar uma tese jurídica, organizar juridicamente uma ação, elaborar uma defesa. Trata-se de conhecimento importante que poderá ser útil em futuro próximo ou distante.

O Big Data e a análise preditiva

Para ter uma ideia de como o Big Data pode ajudar um escritório jurídico a obter informações valiosas para o profissional, veja os exemplos seguintes.

A análise do volume grande de dados (Big Data significa, literalmente, “grandes dados”) possibilita ao advogado, por exemplo, conhecer melhor a história do juiz que está cuidando de seu caso (inclusive as decisões tomadas por ele e os casos de que ele cuidou). Poderá, assim, identificar o precedente legal que esse juiz considera mais persuasivo.

Poderá mesmo economizar dinheiro do seu cliente, evitando investir em moções que o juiz dificilmente aprova. Ou seja, é uma forma estratégica de aumentar as chances de obter sucesso no processo judicial e de satisfazer o cliente em diferentes aspectos, inclusive no financeiro.

Esse procedimento pode ser chamado de análise preditiva, já que busca tirar conclusões sobre ações futuras baseando-se em informações confiáveis.

A análise comportamental é um recurso importante para ajudar o advogado ou o promotor a conduzir seus casos com mais equilíbrio e probabilidades de vitória. O profissional poderá ter acesso a dados sobre a banca examinadora e desenvolver estratégias específicas visando atender as exigências desse grupo específico.

A análise preditiva vem sendo bastante usada por profissionais da área jurídica nos Estados Unidos com o uso do Big Data. Ela vem se tornando, de fato, uma característica importante para gerar diferencial competitivo entre um escritório jurídico e outro.

Pouco a pouco, as empresas do setor jurídico estão sendo compelidas a adotar a análise preditiva para manterem-se competitivas no mercado concorrido. Aplicada usualmente na área de marketing, esse tipo de análise tem se revelado um recurso eficiente na elaboração de estratégias mais bem direcionadas para conduzir processos no tribunal.

A utilização de um software em escritório jurídico

Como o fluxo de dados é constante e sempre deverá ser usado pelo profissional, o ideal é usar um software específico para escritório jurídico. As ferramentas de BI (Business Intelligence) podem se integrar ao Big Data e proporcionar relatórios detalhando cenários econômicos, como também medindo o desempenho dos profissionais em tempo real.

O software pode trabalhar em parceria com o Big Data, oferecendo suporte para analisar todas as questões relacionadas às atividades desenvolvidas em um escritório jurídico, como faturamento por cada cliente, controle de contratos e honorários, fornecimento de indicadores de desempenho.

Com o trabalho de um sistema de gestão automatizado que unifique um software específico para a área jurídica e o Big Data, serão possíveis a análise personalizada dos resultados e a possibilidade de realizar novas abordagens, fazendo com que a informação ganhe realmente utilidade dentro do escritório.

Gostou do post? Já aplica os recursos do Big Data em seu escritório jurídico? Aproveite para seguir a Kurier nas redes sociais: Facebook, Youtube e Linkedin!

Comments (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This