O futuro chegou! Entenda como deve ser um escritório de advocacia a partir de agora!

O futuro chegou! Entenda como deve ser um escritório de advocacia a partir de agora!

Vivemos novos momentos e novas tecnologias são desenvolvidas em curto espaço de tempo. As novas descobertas e ideias tendem a modificar o pensamento do homem e propõem rumos que antes eram somente sonhos e desejos ambiciosos.

Essas mudanças afetam todas as áreas em que o homem atua. Assim, os escritórios jurídicos também integram esse cenário de reformas. Leia o post e veja como será o futuro dos escritórios de advocacia! Um futuro que, na verdade, já está em desenvolvimento!

O grande momento dos softwares

Não podemos falar sobre o futuro dos escritórios de advocacia sem falar nos softwares. Há muito tempo, os softwares vêm ocupando uma posição de destaque no mercado mundial e no mundo dos negócios.

Os desenvolvedores de softwares têm se dedicado a projetar produtos específicos, voltados para determinados segmentos, como ramo mobiliário, gestão financeira e fiscal, controle de estoque, escritórios jurídicos, clínicas médicas, área educacional e assim por diante.

Para corporações em geral, os ERPs são softwares bastante conhecidos, sendo ofertados em módulos que podem ser adquiridos individualmente conforme as necessidades do negócio. A grande característica dos softwares é a automação das tarefas, pois eles permitem agilizar atividades, principalmente as mais repetitivas, otimizando o tempo e aumentando a eficiência e a produtividade.

Nem todos os softwares são sistemas muito complexos, pois existem até simples aplicativos que podem ajudar na gestão de escritórios de advocacia, podendo ser instalados em aparelhos mobile, como smartphones, tablets e notebooks.

A apropriada gestão de documentos

Uma das novidades que preconiza e representa o futuro dos escritórios de advocacia é o sistema automatizado que realiza a gestão de documentos. Esse sistema se encarrega de aumentar a qualidade na produção de peças jurídicas, favorecendo maior organização e maior produtividade para o escritório.

Trata-se de uma solução personalizada, que respeita as necessidades da empresa, assim como as estratégias definidas por ela e pelos seus clientes. Nesse sentido, o sistema de gestão de documentos trabalha conforme a base de conhecimentos do próprio escritório.

O profissional poderá assim atualizar as peças com muita facilidade, incorporando as jurisprudências mais recentes, as súmulas, os julgamentos e todas as outras referências jurídicas. Entre as vantagens de usar o sistema de gestão de documentos, podemos destacar:

  • produção de peças de qualquer local onde o advogado se encontre;
  • otimização do tempo na geração das peças;
  • risco mínimo de falhas no momento de produzir as peças;
  • uso fácil e prático (o treinamento para aprender a utilizar o sistema não dura mais do que uma hora);
  • padronização do trabalho, seguindo as normas e o visual do escritório;
  • aumento da qualidade, do controle e da gestão em geral dos documentos.

Além de aumentar a produtividade na produção de peças jurídicas, o sistema ajuda a mensurar a qualidade do trabalho por meio de indicadores de desempenho. Tudo isso, por um ótimo custo-benefício.

A auditoria dos processos

Outra inovação que define o futuro dos escritórios de advocacia é o sistema automatizado e prático de auditoria. Um escritório de advocacia não pode correr o risco de efetuar processos que possam ser considerados ilícitos ou irregulares. Para evitar transtornos com a lei e a justiça, vale a pena recorrer a um sistema automatizado de auditoria, que se responsabilize pela fiscalização dos processos, identificando, retificando e prevenindo falhas.

A auditoria também pode ser executada de forma específica, visando a controlar os processos e dando baixa naqueles já finalizados. Com esse sistema, o escritório reduz significativamente seus custos. O sistema fornece informações estratégicas que evitam o direcionamento de recursos financeiros e de tempo para processos encerrados. Trata-se do sistema de auditoria de baixa de processos.

O monitoramento de processos em andamento

Com um sistema específico, é possível acompanhar de forma atualizada os processos físicos e digitais disponibilizados pelos tribunais de justiça. Com esse sistema automatizado, o escritório não perde tempo acessando continuamente o site do tribunal para se certificar de como anda o processo, agilizando assim a resposta ao cliente bem como a conclusão do processo.

Desse modo, o escritório aumenta sua produtividade, recebendo automaticamente e com segurança as informações atualizadas das movimentações do processo. Outra boa vantagem dessa tecnologia é que ela fornece informações detalhadas do processo que está tramitando na justiça. O profissional poderá ter até informações antecipadas e acompanhar o processo em todas as esferas (civil, criminal, trabalhista).

O avançado sistema de pesquisa

O futuro dos escritórios de advocacia conta ainda com um avançado sistema de pesquisa na área jurídica. Com tal sistema, é possível inclusive recuperar publicações nos Diários Oficiais e Diários de Justiça de todo o Brasil. As informações podem ser pesquisadas por pessoas físicas, jurídicas, números de processo ou inscrição da OAB, com a informação podendo ser enviada no mesmo dia de sua publicação.

O sistema de pesquisa pode ser integrado a sistemas específicos de gestão jurídica (ERPs). Também contam com recursos especiais, como:

  • filtros de inclusão e de exclusão, reduzindo a quantidade de lixo eletrônico;
  • entrega em diferentes formatos (Word, Excel, HTM, XML);
  • abrangência nacional;
  • diferentes níveis de segurança;
  • não repetição de publicações.

A globalização e a informatização

Além dessas inovações tecnológicas, existem outras tendências relacionadas ao futuro dos escritórios de advocacia. Alguns advogados chegam a ter receio de que a máquina substituirá o profissional, o qual perderia sua importância e seria relegado a segundo plano diante desse contexto.

Para outros, no entanto, esse receio é infundado. A tecnologia será sempre uma aliada do advogado, nunca será uma inimiga. Mesmo considerando a polêmica IA (Inteligência Artificial), capaz não apenas de agir de forma operacional, mas apta a solucionar casos diversos, a máquina não substitui o profissional. A máquina complementa-o em suas limitações, acelerando seu trabalho e tornando-o mais eficiente e mais produtivo.

A globalização é um fenômeno que tende a unificar os processos de trabalho e as diferentes pessoas e empresas que atuam sobre elas. Globalização e informatização são dois conceitos que caminham juntos. Por meio dos recursos digitais, especialmente com a internet, é possível conectar o mundo.

O universo digital não está tão condicionado ao tempo e à distância. As barreiras tradicionais foram rompidas pela tecnologia avançada que conecta o escritório de advocacia aos sites de entidades do governo, aos tribunais de justiça, aos clientes. Tudo acontece em tempo real, permitindo maior controle sobre os processos e as operações.

Determinados processos e requerimentos já dispensam a presença da pessoa, podendo ser conduzidos por meio de mensagens de e-mail. Essas facilidades tendem a reduzir a burocracia, conferindo maior autonomia ao cliente e agilizando, na maioria das vezes, os resultados.

Os espaços colaborativos de coworking

Tão comum nos meios de trabalho, a concorrência está perdendo espaço para o compartilhamento. Os coworkings (ou escritórios compartilhados) exemplificam muito bem essa nova realidade.

Nessa nova forma de organização de trabalho, os profissionais do Direito dividem o mesmo espaço para desenvolver suas atividades. Assim, compartilham clientes e experiências, ampliando seu networking.

Essa forma de trabalho favorece ambos os lados: o dos profissionais e o dos clientes. Os primeiros reduzem custos, como aluguel de salas e funcionários. As despesas de aluguel, luz, água, recepcionista e outras são divididas entre todos. Também fica mais fácil encontrar clientes, considerando que um advogado pode indicar seu colega para resolver questões em que ele mesmo não é especializado. Individualmente, cada um pode alavancar sua rede de contatos a partir dos conhecimentos dos colegas.

O cliente, por sua vez, pode encontrar tudo o que precisa em um único lugar: especialistas em Direito do Trabalho, Previdência Social, Direito Criminal, causas cíveis e assim por diante.

O robô-advogado

O primeiro robô-advogado do país foi lançado em 2017 pela empresa Tikal Tech. Chama-se ELI e sua função é ajudar na resolução de casos e processos. Conforme explicou a própria fabricante, o ELI deve ajudar o advogado em atividades como coletar dados, efetuar cálculos, organizar a documentação, formatar petições, acompanhar a carteira dos clientes e a rotina dos processos, assessorar em colaborações e em relatórios inteligentes, interpretar decisões judiciais e em outras atividades que aumentam a produtividade.

Diferentemente de outras plataformas jurídicas (inclusive das três plataformas desenvolvidas pela Tikal Tech), o ELI tem um enorme potencial para analisar dados. Ele pode ajudar, por exemplo, em processos contra a cobrança indevida de taxas de luz, sendo que a mesma lógica aplicada nesse problema poderá ser aplicada em casos diferentes.

Como se trata de Inteligência Artificial, o robô-advogado precisa ser ensinado pelo próprio profissional:

  • o que ele deve fazer;
  • de que modo deve fazer;
  • quando deve fazer, e assim por diante.

Quanto mais usado ele for, o ELI poderá cruzar mais dados para a resolução de conflitos e questões. O advogado deve enriquecer cada vez mais o robô com termos usados na área jurídica.

Vale lembrar que o ELI não é o primeiro robô-advogado do mundo (só do Brasil). O primeiro robô-advogado do mundo foi o ROSS, criado nos Estados Unidos pelo escritório de advocacia BakerHostleter. O ROSS desenvolve funções iguais às do ELI, fazendo análise de dados, adicionando informações valiosas e acelerando o trabalho do profissional.

O nome ELI significa Enhanced Legal Intelligence, ou Inteligência Legal Avançada. Curiosamente e, apesar de pura coincidência, o nome ELI significa, em hebraico, Meu Deus.

Outro robô-advogado brasileiro é o BOT, desenvolvido pela Selem Bertozzi Consultoria, empresa de tecnologia do estado do Paraná. O BOT comunica-se com o cliente em língua portuguesa, seja na forma escrita, seja oralmente.

O BOT tem capacidade para responder e atender 70% do público por meio de telefone, chats ou redes sociais. Além do atendimento, ele agenda reuniões, fornece informações de processos, responde outras questões, gera relatórios estatísticos, mapeia profissões e desenvolve estratégias de publicidade se for necessário.

As outras perspectivas para o futuro dos escritórios de advocacia

Muitas outras tendências podem ser citadas. A OAB SP, por exemplo, aponta cinco tendências para o futuro dos escritórios de advocacia:

  • Direito Digital: ramo que oferece diferentes possibilidades, abrangendo áreas como comercial, criminal, internacional, autoral e outras;
  • petróleo e gás: o setor energético, principalmente associado ao gás e ao petróleo, é outra perspectiva para a advocacia, mesmo considerando a sustentabilidade, pois eles continuam sendo os meios energéticos mais usados (muitos cursos de especialização em gás, petróleo e energia são oferecidos em universidades, proporcionando um conhecimento tanto a nível nacional como internacional);
  • arbitragem: 23% dos escritórios jurídicos apostam no crescimento da arbitragem como alternativa à lentidão da justiça, já que a resolução do problema não pode ir além de seis meses;
  • infraestrutura: o advogado deve se preparar para solucionar causas nessa área, envolvendo investimentos públicos/privados, desigualdade social e licitações;
  • meio ambiente: o Direito Ambiental tende a crescer e integrar-se cada vez mais com as ciências sociais, biologia, antropologia, geologia, engenharia.

Outras tendências para o futuro dos escritórios de advocacia envolvem os tópicos a seguir.

As novas oportunidades com as reformas trabalhistas

Para profissionais do Direito do Trabalho, o mercado jurídico está em alta, especialmente devido à insistência do governo em implementar mudanças tanto no regime da Previdência como na CLT. Há mais de 12 milhões de desempregados no Brasil e a previsão para que esse número diminua é apenas para o segundo semestre de 2018.

O marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo também é uma excelente opção para o ramo de advocacia.  O seu uso tem se intensificado em todas as áreas e a OAB não impõe nenhuma restrição quanto ao seu uso pelos advogados.

Quanto mais o profissional disponibilizar conhecimentos sobre os problemas jurídicos, aproximando-se do cliente por meio da internet e das redes sociais e blogs, mais ele será reconhecido como um especialista e conseguirá melhorar sua reputação.

A precificação estruturada de honorários

A política de precificação de honorários deve ser estruturada e alinhada a uma estratégia de crescimento. Essa é uma tendência que vem se afirmando cada vez mais, contrariando as tendências tradicionais de grandes escritórios jurídicos que não preocupavam com esse ponto.

A precificação deve seguir uma ordem e um método, não podendo ser feita aleatoriamente, conforme a cara do cliente. O ideal é recorrer a planilhas ou mesmo a um software específico de gestão jurídica.

O foco nas vendas

O marketing jurídico tem que gerar venda de serviços, ou seja, a pessoa tem que se sentir atraída pelo escritório e fechar negócio com o profissional.

Os advogados estão procurando estruturar estratégias claras para conquistar clientes efetivos, elaborando inclusive um plano de receitas, prevendo a entrada de dinheiro, tanto no ambiente online quanto off-line.

Nesse sentido, vale a pena investir em sistemas de CRM, que ajudam a melhorar o relacionamento do advogado com seu público, personalizando o atendimento e correspondendo às reais expectativas dele.

Quais são as suas perspectivas sobre o futuro dos escritórios de advocacia? Aproveite para conhecer melhor os serviços e produtos da Kurier, seguindo as nossas redes sociais: estamos no Facebook e LinkedIn!

Share This