Hora de contratar advogado no escritório? Confira esse manual completo

Hora de contratar advogado no escritório? Confira esse manual completo

Com os escritórios de advocacia cada vez maiores, o processo de recrutamento de funcionários tem se tornado uma tarefa muito mais complexa e que toma bastante tempo e dinheiro. No entanto, se houver uma estratégia de seleção eficiente para a contratação de novos colaboradores, a empresa pode realizar a seleção de profissionais de maneira mais ágil e eficaz.

No post de hoje, fizemos um manual completo de como contratar advogado e acertar na escolha.

Por que ter um processo de recrutamento eficiente?

Muitas pessoas ainda acreditam que o processo de recrutamento se resume a divulgar a vaga, fazer a triagem dos currículos e realizar entrevistas, o que é um tremendo engano. Com a quantidade de profissionais disponíveis no mercado, as empresas precisam ter maneiras mais eficientes para a seleção.

Investir em um processo de recrutamento só traz benefícios ao escritório que consegue filtrar os melhores profissionais, economizar tempo dos recursos humanos e dos gestores que avaliarão os candidatos, diminuir a rotatividade dos funcionários e não causar impacto no setor que estiver precisando de um novo advogado.

Otimiza os resultados

Um processo de recrutamento eficiente cria condições mais favoráveis para chegar no melhor profissional e isso acontece porque os recrutadores conseguem selecionar bons advogados sem perder tempo com candidatos que não se encaixam na vaga.

Aumenta a produtividade no escritório

Uma boa seleção garante que o escritório tenha equipes com profissionais que estejam alinhados com a cultura organizacional da empresa, sigam os processos internos e mantenham um bom local de trabalho. Todas essas características juntas garantem maior produtividade para a organização evitando falhas e atrasos nas rotinas de trabalho jurídicas.

Melhor relacionamento entre os colaboradores

Durante o processo de recrutamento para contratar advogados, muitas variáveis são levadas em consideração e uma delas é a forma como o candidato se comporta em determinadas situações e se ele está adequado ao perfil das outras pessoas que trabalham no escritório.

Portanto, uma boa seleção consegue avaliar se aquele profissional terá uma boa adaptação e relacionamento com outros colaboradores, uma característica essencial para manter um clima organizacional positivo.

Como estabelecer um processo seletivo de sucesso?

Para que o processo seletivo seja um sucesso, é importante seguir algumas diretrizes. Listamos a seguir o que o seu escritório deve priorizar na hora de contratar advogado.

Invista em bons anúncios

O anúncio é o primeiro contato do escritório com o candidato e, portanto, ele deve estar bem redigido.

Certifique-se que a descrição da vaga, bem como as exigências profissionais estejam claras ao leitor evitando que a pessoa responsável pela seleção receba inúmeros currículos fora do perfil que vocês estejam procurando.

Portanto, elenque as seguintes informações de maneira clara e direta:

  • cargo a ser preenchido pelo candidato;

  • especificações referentes a formação como, curso pretendido, preferência por alguma faculdade, necessidade de cursos de especializações, entre outros;

  • esclareça se a vaga deve ser preenchida por um candidato com um tempo mínimo de experiência;

  • esclareça qual é o tipo de experiência que o escritório está buscando, por exemplo, um advogado trabalhista com prática na realização de audiências;

  • especifique quais são as atividades que o profissional desenvolverá dentro da empresa;

  • localização da empresa 

Não burocratize a candidatura

Tornar o processo de recrutamento complicado não é garantia de bons candidatos, portanto, tente mantê-lo rápido e ágil.

Evite formulários longos com muitos campos para preenchimento e priorize as plataformas em que a candidatura é feita com apenas um clique.

Faça uso das redes sociais, principalmente aquelas voltadas para o uso profissional como LinkedIn. 

Seja honesto no processo seletivo

Seja honesto sobre o que o escritório pretende ao contratar o advogado. De nada adianta esconder informações importantes do candidato como, fluxo de trabalho, plano de carreira ou integração da equipe, apenas para seduzir um bom profissional.

Além disso, esteja atento na coerência da vaga versus as exigências realizadas. Muitas vezes o processo de recrutamento pretende contratar profissionais com habilidades que nem os mais altos executivos possuem ou são capazes de avaliar.

A mesma dica vale na hora de exigir cursos de especialização como, pós-graduação ou mestrado. Avalie se esses diplomas são realmente necessários para a realização de um bom trabalho ou se é apenas uma exigência desnecessária.

Elimine preconceitos do processo seletivo

Além dos preconceitos passíveis de punição como, racismo, machismo e LGBT fobia, a equipe responsável pela seleção deve evitar outros tipos de prejulgamentos que apenas atrapalham a contratação de um bom profissional.

Não descarte currículos apenas por que o candidato é jovem, possui tatuagem ou não se formou naquela faculdade top de linha. Lembre-se que você está ali para avaliar o profissional e não suas preferências pessoais.

Leve em consideração o comportamento dos participantes

A formação técnica e a experiência dos participantes são fundamentais na hora do processo seletivo, porém, não esqueça de traçar um perfil comportamental ao contratar um advogado.

Se a vaga, por exemplo, exige que seja um profissional com desenvoltura e boa habilidade para se relacionar com outras pessoas, não adianta contratar um gênio que seja introvertido e tímido.

É importante reconhecer tais características para saber se está de acordo com o perfil desejado pelo escritório, para isso, a equipe responsável pela seleção pode utilizar algumas ferramentas disponíveis no mercado que ajudam a compreender perfis comportamentais como, comunicador, executor, planejador e analista.

O perfil comportamental pode ser, inclusive, um ponto de desempate entre dois candidatos que apresentarem qualidades técnicas semelhantes. Não esqueça também, que a rotina em um escritório de direito pode ser bastante estressante, devendo contar com a inteligência emocional dos advogados para superar qualquer desafio.

Fique atento aos locais de busca de candidatos

Para que um processo seletivo seja eficiente é importante ficar atento aos locais de busca de candidatos. Priorize os canais que estão mais alinhados com o que o escritório precisa naquele momento, seja as redes sociais, seja a indicação de funcionários que já conhecem o funcionamento do trabalho e a cultura organizacional do escritório.

Muitas empresas divulgam as suas vagas em canais que não atingem o público desejado e acabam perdendo muito tempo na triagem dos candidatos por terem recebido diversos currículos fora do perfil almejado.

Não economize nas informações

Não fique preso apenas às informações que o profissional fornece no CV ou na entrevista. Faça a sua própria pesquisa e procure dados na internet, principalmente, nas redes sociais onde é possível confirmar se o candidato mentiu ou não durante o processo seletivo e cheque as referências fornecidas.

Alinhe os objetivos

Parece uma dica boba, mas muitos escritórios cometem erros graves nessa etapa. Se o local possuir uma cultura mais convencional, não adianta escolher um profissional moderno com um perfil arrojado. Isso só trará frustrações para ambas as partes.

Se o candidato estiver sendo contratado para assumir algum projeto específico, não deixe de informar claramente quais são os objetivos da empresa.

Esteja preparado para a entrevista

Todo mundo já deve ter ido realizar uma entrevista em que o recrutador não conhecia o candidato, lia o currículo rapidamente e fazia algumas perguntas genéricas. Essa, com certeza, é uma das piores formas de selecionar um profissional corretamente.

Portanto, esteja preparado para a conversar com o profissional interessado na vaga. Estude o CV antes e anote os pontos que você quer saber mais detalhes.

Padronize o processo seletivo

Para um recrutamento eficiente, é importante que o processo seletivo seja padronizado. Garanta que independentemente de quem for realizar a seleção, que os procedimentos sejam obedecidos.

Apenas com a certeza de que todos os recrutadores estão seguindo as mesmas regras é que o escritório conseguirá obter contratações de sucesso sempre que for necessário.

Invista em uma empresa de recrutamento

Dependendo do porte do escritório, provavelmente, ele não tem um setor de recursos humanos especializado na contratação de pessoas. Nesses casos é importante investir em uma empresa de recrutamento que possua mais experiência e conhecimento no desenvolvimento desse trabalho.

Tentar fazer por conta própria pode sobrecarregar o RH além de não surtir o efeito desejado que é o de contratar o melhor candidato disponível, fazendo com que a empresa perca tempo e dinheiro em uma seleção inadequada.

Quais as principais características de um advogado atualmente?

Para contratar advogados é importante saber quais são as principais características atualmente destes profissionais. Falamos abaixo sobre o que o escritório deve esperar e exigir de um bom candidato.

Ter uma formação sólida

Quando falamos de formação sólida não é apenas aquela formal que se resume a um diploma de uma faculdade conceituada.

É importante saber o quão estudioso era o candidato, uma vez que mais vale um bom aluno de uma universidade mediana do que um aluno desinteressado de uma faculdade renomada.

Além da escolaridade básica, é importante que o advogado tenha buscado cursos extracurriculares, palestras e congressos jurídicos ao longo de sua vida acadêmica ou se fez estágio durante a faculdade. Estar sempre buscando conhecimento é um diferencial de um bom profissional para um mediano.

Ter uma boa oratória

A profissão de advogado exige um alto poder de argumentação e, para isso, é necessária uma boa capacidade de expressão. Sabemos que algumas pessoas já nascem com boa oratória sabendo defender seus pontos e expressar seus sentimentos de maneira eficaz.

No entanto, é possível saber que essa é uma característica que pode ser aprendida como qualquer outra, desde que o profissional se interesse e faça cursos, workshops, palestras e preste atenção em outros advogados que possuem essa qualidade.

Ter uma redação impecável

A argumentação do advogado nem sempre será realizada em audiências ou despachando com o juiz, em muitos momentos a tese deve ser defendida por meio de petições, pareceres ou até mesmo de e-mails trocados com os clientes ou superiores.

Por causa disso, a escrita é fundamental para a atuação de um bom profissional do direito. Uma inicial ou um recurso bem redigido é essencial para o êxito em um processo.

Da mesma forma que a oratória é aprendida, a boa comunicação escrita também é. Além de cursos e palestras, a pessoa deve ler bastante e prestando atenção na gramática e no vocabulário.

Ter inteligência emocional

A carreira de advogado é uma das mais estressantes que existe e isso significa que o profissional lidará com constante pressão, seja dos clientes, seja dos prazos forenses.

Portanto, a inteligência emocional é imprescindível para conseguir manter a calma e não afetar nem o bom desempenho do trabalho, nem a própria qualidade de vida.

Saber trabalhar em equipe

Dependendo do porte do escritório, o advogado precisará realizar diversas tarefas em equipe, portanto, compartilhar conhecimento, delegar funções, manter um relacionamento saudável com o colega do trabalho será uma parte fundamental na rotina.

Estar em constante aprendizado

O profissional do direito não pode achar que o que ele aprendeu durante os cinco anos de faculdade servirá durante toda a sua carreira profissional.

Os códigos e os entendimentos jurisprudenciais mudam e exige que o advogado esteja em constante atualização, sempre estudando para desempenhar um bom trabalho. Portanto, um causídico de alto nível é aquele que mesmo com 10, 20 anos de carreira não deixa de participar de congressos, palestras e cursos, sempre focado em dar o seu melhor para os clientes.

5 dicas para analisar um currículo 

1. Tenha o perfil definido

Como dissemos, antes de contratar o advogado o escritório precisa ter definido o perfil que está procurando.

Com isso em mente, a análise do currículo será mais rápida e eficiente pois o recrutador saberá exatamente o que avaliar de cada profissional. 

2. Selecione as prioridades

Defina duas ou três características essenciais para a vaga e descarte todos os currículos que não atendam a sua demanda.

Por exemplo, escolha o tempo de experiência, o tipo de trabalho desenvolvido anteriormente e se possui pós-graduação.

3. Verifique a vida profissional

Para saber se o candidato é comprometido ou se está sempre trocando de emprego, analise a vida profissional dele. Fique atento aos lugares que ele já trabalhou e qual o período de tempo que ficou em cada emprego.

Se possuir vínculos muito curtos ou algum período em branco, questione o motivo daquela ocorrência para que não fique nenhuma dúvida. Não é positivo para o escritório um advogado que não seja engajado no trabalho e que não tenha o perfil de querer construir uma carreira dentro do escritório.

4. Analise as atividades extracurriculares

Leia as atividades extracurriculares do candidato, pois muitas vezes é por ali que percebemos o nível de interesse pela área do advogado.

Verifique se ele está sempre se atualizando, o que ele gosta de estudar, quais cursos costuma frequentar.

5. Leia atentamente a descrição das atividades e responsabilidades

Não veja apenas onde o candidato trabalhou, mas sim o que ele fazia em cada emprego anterior, para se certificar de que possui as habilidades necessárias que a vaga disponível exige.

Os 3 principais erros ao contratar um advogado

1. Não avaliar a qualificação profissional

Muitas vezes, com a pressa de contratar alguém ou até mesmo por causa da quantidade de currículos recebidos, o recrutador acaba não avaliando corretamente a qualificação profissional do candidato.

Faça sempre uma pesquisa aprofundada e vá além do CV. Atualmente, há diversas plataformas que facilitam tal tarefa como, LinkedIn, Facebook e o Currículo Lattes.

2. Não descrever a vaga corretamente

Muitas vezes os anúncios são genéricos e não deixam claro o que o escritório espera do advogado. Isso acaba gerando uma infinidade de candidaturas sem o perfil adequado como, um profissional do ramo trabalhista para uma banca civilista, por exemplo.

Além disso, vemos também recrutadores que com medo de assustar os candidatos, acabam omitindo informações importantes sobre a rotina do local como, quantidade de horas extras, plano de carreira, habilidades exigidas, quantidade de trabalho externo e até sobre os benefícios.

No final das contas, o advogado quando começar a trabalhar e verificar que o fora dito para ele na entrevista não é a realidade acaba ficando insatisfeito e procurando outro emprego o que faz todo mundo perder tempo e dinheiro.

3. Não considerar uma contratação interna

Em alguns casos, os próprios escritórios possuem o advogado certo para a vaga disponível. No entanto, ao procurar em outros locais desvalorizando o colaborador interno e evitando de contratar uma pessoa que já está alinhado com a cultura organizacional.

Todo mundo conhece alguém que está insatisfeito no seu cargo e gostaria de ser transferido de setor. Um advogado correspondente, por exemplo, pode estar cansado de realizar tantos serviços externos e querer uma vaga no consultivo.

O escritório que procura primeiro em seus colaboradores um profissional para preencher a vaga, economiza tempo e dinheiro, uma vez que o advogado já está familiarizado com os processos, valores e cultura da organização.

Qual o papel da tecnologia na contratação de advogados?

A tecnologia tem invadido cada vez mais os espaços de trabalho, facilitando as tarefas corriqueiras dos profissionais.

Na contratação de advogados não poderia ser diferente, e o processo de recrutamento também ganhou algumas facilidades com o uso de inovações tecnológicas e falamos a seguir sobre elas.

 Redução da carga de trabalho

A tecnologia quando bem utilizada é bastante útil para eliminar as tarefas repetitivas que não precisam, necessariamente, da inteligência humana. Com isso, os profissionais ficam livres para se dedicarem mais as questões que demandam avaliação, discussão e consideração.

No processo seletivo, por exemplo, pode ser utilizado uma plataforma capaz de centralizar e cruzar os dados dos candidatos, criando gráficos e demonstrativos de desempenho e características dos profissionais.

Já na rotina dos advogados, um sistema de inteligência jurídica pode economizar tempo dos profissionais triando as publicações, prazos e outras informações corriqueiras.

Portanto, a primeira grande vantagem da tecnologia é permitir que os trabalhadores foquem no que mais precisa de atenção e eliminem os trabalhos mecânicos.

Otimização do tempo

A automatização de algumas rotinas, como formatação de documentos ou busca de informações, economiza muito tempo dos recrutadores. Imagine que antigamente todo tipo de pesquisa precisava ser realizado em livros ou enciclopédias e, atualmente, basta buscar em algum site.

Além disso, pesquisar a vida dos candidatos também se tornou muito mais simples, prático e rápido com a tecnologia e as redes sociais e assim, o escritório evita cair em ciladas acreditando em mentiras que quase todo mundo conta nas entrevistas.

Facilita a realização de entrevistas

Com o uso da tecnologia a realização das entrevistas pode se tornar mais fácil, isso porque, no lugar de solicitar que o candidato se desloque até o escritório, o recrutador pode agendar uma conversa pelo Skype.

Isso permite, inclusive, que candidatos de outras regiões do país possam ser avaliados em um primeiro momento, além de poupar o tempo e dinheiro de quem estiver interessado na vaga.

Registra o processo seletivo

Em tópicos anteriores, dissemos que uma das formas para elaborar um processo seletivo eficiente é padronizando o recrutamento. No entanto, se a empresa não possuir mecanismos que garanta que os funcionários seguem todas as regras estabelecidas, exigir um padrão se torna uma tarefa complicada.

Utilizando a tecnologia, seja por meio de plataformas online, seja por meio de sistemas criados para o próprio escritório, é possível reunir e visualizar todas as informações dos candidatos e de como a solução foi realizada, o que também evita que candidatos sejam escolhidos seguindo preferências pessoais.

Quem tiver alguma dúvida, basta acessar os arquivos e consultar as informações lançadas pelo recrutador responsável. Isso também elimina o número de papéis de indesejáveis que costumam se acumular em todo lugar.

Recrutador capacitado

Um processo seletivo bem conduzido depende muito do talento e experiência do recrutador na condução da seleção, portanto, a tecnologia é um forte aliada para que a empresa mantenha o seu profissional em constante crescimento.

Algumas plataformas oferecem treinamentos que podem ser feitos online e do próprio ambiente de trabalho, sem sobrecarregar ninguém e isso é extremamente positivo para que bons trabalhos sejam desenvolvidos.

Divulgue o seu escritório

Os melhores candidatos costumam ser disputados pelo mercado. Eles raramente aceitam qualquer proposta pois sabem que possuem qualificações suficientes para escolher o melhor emprego.

E esses candidatos priorizam questões que vão além do salário, como qualidade de vida, benefícios e clima no ambiente de trabalho, portanto, o escritório também precisa fazer sua propaganda e se colocar como um bom local de trabalho.

Para tanto, um uso eficiente das redes sociais é bem-vindo. As empresas têm apostado cada vez mais nessa ferramenta, para divulgar a sua cultura organizacional e aumentar o networking do escritório, o que faz com que receba cada vez mais candidatos engajados, que admiram a organização e nutrem uma vontade especial para trabalhar no local.

Se você gostou do nosso manual sobre como contratar advogado, leia agora o nosso ebook de marketing jurídico e aprenda como alavancar o seu escritório.

Share This