Direito ambiental e tecnologia: entenda essa relação

Direito ambiental e tecnologia: entenda essa relação

A demanda por profissionais que trabalham no segmento do direito ambiental tem aumentado bastante nos últimos anos. Com isso, aumentam também os advogados interessados nessa área.

Cada vez mais juristas buscam aperfeiçoar seus conhecimentos e investir em escritórios que trabalhem com a temática. Contudo, muitos deles ainda não têm pleno domínio para utilizar a tecnologia em seu favor na gestão.

Logo, sai na frente quem domina a fundo os novos serviços, aparelhos e softwares, sabendo utilizar de artefatos modernos para otimizar processos e garantir segurança no desempenho de suas tarefas.

E então, interessado no assunto? Continue lendo este post e entenda, de uma vez por todas, como aplicar novas tecnologias e se diferenciar da concorrência!

Sobressaindo-se no direito ambiental

Já percebeu que houve um aumento significativo no número de cursos de bacharelado em direito? E em pós-graduações em direito ambiental? Pois é; hoje, destacar-se é a única opção para quem quer garantir seu espaço no mercado de trabalho e tornar lucrativa a função de advogado.

E, para se sobressair, é necessário ter boa formação, especialização, demonstrar domínio do que se propõe a defender, fazer contatos de qualidade, conhecer métricas e indicadores de desempenho do negócio. Enfim, manter-se em constante busca por novos meios de garantir eficiência e otimizar processos.

O advogado deve utilizar a tecnologia a seu favor

Geralmente, a rotina do advogado ambientalista é bastante tradicional, mas não se pode fechar a novas tecnologias.

Elas conferem maior dinamismo a seu trabalho, que passam a demandar menos do setor de informática. Assim, é possível utilizar todo o seu tempo para focar em suas funções mais específicas — o que elevará a produtividade dos funcionários de ambos os setores.

Já não há mais como o logístico e o operacional serem feitos manualmente. Hoje, o único espaço em que o artesanal deve prevalecer é na troca de informações e conhecimentos, e na elaboração de pareceres, documentos e peças jurídicas.

Automatizando operações para se destacar no mercado

A automatização permite que os escritórios e departamentos jurídicos tenham maior precisão e segurança para gerir seus processos como um todo, sendo meio assegurador de eficácia e ganho de tempo no que diz respeito aos negócios.

Nesse sentido, a implantação de sistemas jurídicos e softwares com painéis é a melhor opção para obter soluções customizáveis, a fim de atender às expectativas (e necessidades) de cada parceria ali criada.

As novas tecnologias conferem dinamismo ao desempenho de atividades no setor do direito ambiental. Afinal, as leis estão em constante mudança, os contratos devem ser sempre atualizados e aperfeiçoados, e as demandas jurídicas para a solução de litígios aparecem em grande volume.

Abrindo mão de seu gaveteiro para permanecer relevante

Os documentos chegam por todos os lados em um escritório: cada colaborador precisa, obrigatoriamente, de documentos de outros empregados, e vice-versa. Assim, organizá-los é o mínimo que o operador do direito faz para manter sua rotina em dia e cumprir os (apertados) prazos dos Tribunais.

Você ainda guarda os seus documentos em espaços físicos? Um gaveteiro cheio de papéis no fundo de uma sala ocupa muito espaço, e significa perda de dinheiro.

Os sistemas de controle de qualidade, por sua vez, além de gerar economia (de espaço e de tempo), fazem com que essa gestão de documentos do negócio esteja vedada a ataques de terceiros, às inevitáveis perdas ocorridas com o tempo e ao desgaste natural dos materiais.

Contudo, vale ressaltar, essa implantação de novos modelos operacionais deve ser realizada com cuidado, preparando-se com atenção o pessoal e os dados para a migração.

É preciso que eles conheçam seu funcionamento, ainda que basicamente, e saibam separar os documentos relevantes, deixando para trás aqueles que não mais se fazem necessários.

A tecnologia como ferramenta estratégica para uma organização

A organização de documentos e dados possibilitada por softwares criados especificamente para o advogado ambientalista permite que se conheça todo o caminho por eles percorridos, auxiliando no workflow.

Assim, a gestão dos papéis digitalizados permite uma atuação voltada totalmente para o desempenho de tarefas e livre das burocracias do dia a dia, com foco em resultados. Em outras palavras, os advogados precisam de tecnologia para verem satisfeitas as necessidades de sua rotina diretamente ligadas ao negócio da própria empresa, tais como:

  • sistemas de gestão de documentos para processos administrativos do escritório;
  • sistemas de gestão de processos jurídicos (peças, certidões, alvarás etc.);
  • ter respostas rápidas sobre buscas por documentos por meio de aparelhos eletrônicos com acesso à internet;
  • ter segurança e backups confiáveis de informações, assinaturas e afins.

Colocar papéis em uma plataforma permite que eles estejam sempre a um clique de distância, o que gera economia de tempo para o advogado — especialmente quando se tem pressa de obter a informação e repassar para clientes, por exemplo — e de valores para o escritório, que passará a contar com funcionários mais produtivos.

Além disso, é importante observar que a própria tecnologia já faz parte do cotidiano do advogado, que tem que lidar com processos inteiramente on-line e prestar serviços pela internet, seja para si próprio ou para atender clientes.

Atraindo clientes com economia de matéria-prima e sustentabilidade

A economia de matéria-prima possibilitada pela digitalização de papéis reflete no meio ambiente e ainda na própria imagem da empresa ou escritório.

Isso porque garante que eles serão vistos como organizações responsáveis e sustentáveis — características altamente desejáveis em todas as instituições modernas. Afinal, colaborar na manutenção no verde é o mínimo que um negócio que opta por trabalhar com direito ambiental pode fazer!

Uma vez que o advogado ambientalista tratará frequentemente com documentos fiscais, deve redobrar sua atenção quanto à guarda física de papéis. Eles obedecerão ao critério de temporalidade, só podendo serem descartados uma vez vencido os prazos estipulados em lei.

Contando com parceiros qualificados

É claro que o advogado entende de tecnologia enquanto usuário, estando ligado a processos de modernização, mas, provavelmente, não tanto quanto técnicos e administradores de redes. Por isso, toda automatização deve ser orientada por profissionais.

Como as demandas na área do direito ambiental exigem muitos documentos, autorizações e processos específicos, é essencial contar com o auxílio de empresas com o know-how necessário em gestão organizacional.

E essa ajuda é indispensável especialmente em momentos como instalação de softwares, concessão de treinamentos e ajuste de detalhes em relação ao sistema escolhido, já que estão disponíveis para solucionar problemas tão logo solicitados.

Enfim, gostou do post? Entendeu como o profissional da área de direito ambiental precisa da tecnologia para ter sucesso em seus negócios? Então, aproveite para curtir nossas páginas no Facebook e no LinkedIn e não perca mais nenhuma novidade sobre as novidades tecnológicas no mundo jurídico!

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial