Como a robotização está impactando a advocacia?

Como a robotização está impactando a advocacia?

A tecnologia alterou de vez a rotina dos escritórios de advocacia. Desde sites de compartilhamento de documentos até softwares de gestão, os profissionais estão aproveitando cada vez mais os benefícios dessas inovações tecnológicas.

Agora o que está em alta é o uso da automação para facilitar o dia a dia dos advogados. Quer saber tudo sobre a robotização das atividades jurídicas? Continue lendo este artigo!

Inteligência artificial

Em vez de usar a internet para fazer pesquisas de jurisprudência e fundamentos doutrinários e embasar a defesa de seus clientes, os escritórios podem usar robôs para realizar essa tarefa.

A inteligência artificial, que há alguns anos parecia coisa de cinema, agora está sendo oferecida por várias empresas de tecnologia dos Estados Unidos, por meio de robôs desenvolvidos especificamente para a execução de atividades advocatícias.

Um desses robôs, o Ross, foi construído pela IBM para trabalhar como se fosse um advogado humano: além de realizar pesquisas em mais de 200 milhões de páginas de conteúdo na internet e armazenar um banco de dados próprio, ele ainda é capaz de entender e responder, em inglês, questões jurídicas.

É como se o Ross fosse uma enciclopédia ambulante, um colega que sabe responder todas as perguntas realizadas pelos advogados do escritório.

Nesse sentido, poderá ir se adaptando ao escritório em que “trabalha”, para emitir respostas cada vez mais próximo do que os seus colegas advogados esperam. Isso é possível porque o seu software está em constante desenvolvimento e aprendizado e é capaz, inclusive, de determinar um padrão de perguntas para criar futuras respostas.

Outra opção disponível no mercado é o Kurier Analytics. Criado para facilitar o trabalho dos advogados no dia a dia dos escritórios e nos Tribunais, esse serviço de inteligência artificial é capaz de processar milhões de decisões a fim de buscar aquelas que mais interessam ao escritório.

Com uma base de dados de três anos de publicações nos diários da justiça dos estados e da União, o sistema é capaz de fazer uma busca retroativa de qualquer processo. 

Além disso, o Kurier Anlytics também pode comparar a situação trabalhista do seu concorrente, as comarcas mais favoráveis, fazer benchmarking e pesquisar a situação jurídica de uma empresa, para facilitar ainda mais a vida do advogado. 

É claro que um robô não pode substituir o raciocínio lógico e a criatividade da mente humana, mas um funcionário computadorizado para realizar atividades de pesquisa e armazenamento de dados é um importante aliado na dinamização das tarefas do dia a dia e no aumento da produtividade do escritório.

Chatbot de advogados

Chatbot é um tipo de software capaz de simular uma conversa com um ser humano. Em outras palavras, é como se você estivesse conversando com uma pessoa, que na verdade é um robô.

Para a atividade da advocacia, existe um chatbot que pode representar o advogado em alguns casos, criado pelo adolescente britânico Joshua Browder. Ele desenvolveu o DoNotPay, um chatbot que tem como objetivo auxiliar os motoristas a não pagar multas de trânsito, quando a sua cobrança é passível de recurso.

Por meio do DoNotPay, o usuário responde uma série de perguntas para tentar recorrer da penalidade, como “a placa estava visível?”, “você estacionou em local indevido por causa de uma emergência médica?”, “o excesso de velocidade ocorreu dentro da tolerância?”, entre outras.

Respondidas as questões, o software gera um formulário para que o usuário preencha os seus dados, imprima, assine e envie ao órgão responsável.

Disponível em Londres, Nova York e Seattle, o DoNotPay está começando a prestar serviços advocatícios também em outras áreas. Agora, é possível receber assistência jurídica em casos envolvendo voos atrasados e em algumas hipóteses de assistência governamental.

No caso do chatbot, também vale a máxima de que o atendimento ao cliente e uma defesa bem elaborada e rica em argumentos nunca poderá ser gerada por um robô. Mas nas ações dos juizados especiais ou em casos de resolução por vias administrativas, esse recurso tecnológico é um importante instrumento para os escritórios.

Explosão de decisões judiciais

Se algumas empresas de tecnologia estão criando robôs para realizar as tarefas mais básicas da rotina dos advogados, Ronald Collins, um professor da Escola de Direito da Universidade de Washington, esboçou um sistema que promete dispensar até mesmo os juízes e os funcionários dos Tribunais, pelo menos em alguns casos jurídicos.

Ele propôs a criação de um aplicativo que solucionaria questões jurídicas de forma padrão, a partir do preenchimento de dados pelas partes envolvidas. Respondidas as perguntas, o programa gerará a decisão judicial que melhor se aplica ao caso, tomando como base um banco de dados de decisões anteriormente emitidas para esse tipo de ação.

Demandas como a cobrança pelo inadimplemento de taxas condominiais ou de aluguéis em atraso, por exemplo, poderão ser resolvidas sem a necessidade de ajuizamento de ação para essa finalidade.

Essa inovação tecnológica pode ser uma alternativa para situações em que o conflito entre as partes poderia ser resolvido sem o envolvimento da justiça, pela conciliação.

Contratos inteligentes

Outra proposta interessante de tecnologia robótica, que visa facilitar as relações jurídicas, é a criação de “contratos inteligentes”. Eles teriam como vantagem a detecção automática de situações em que as suas cláusulas deveriam ser alteradas ou gerar consequências.

É o caso, por exemplo, de contratos que preveem multas progressivas por inadimplemento de parcelas. Na hipótese de atraso na quitação, o devedor seria automaticamente cobrado dos valores em aberto, acrescidos das multas e das correções estabelecidas no contrato assinado.

Mas as pesquisas para contratos inteligentes vão muito além de cálculos e atualizações monetárias. Algumas empresas de tecnologia já estão prevendo outras funcionalidades, ainda mais avançadas.

Há a possibilidade, por exemplo, da instalação de dispositivos em automóveis alugados para determinar uso indevido do veículo e cobrar do locatário os seus reparos. É outra funcionalidade que promete facilitar e automatizar o trabalho de pesquisa e de perícia dos advogados.

Com tantas opções de tecnologias para os escritórios de advocacia, como a própria robotização, é sempre importante mostrar aos seus clientes e parceiros que você está por dentro das novidades que surgem nessa área e disposto a se modernizar. Por isso, não deixe de compartilhar esse artigo nas suas redes sociais e espalhar conhecimento!

Comments (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This